Pesquisar este blog

DESTAQUE

A CIÊNCIA DO ERRO | Sobre Verdades, Veracidade e Realidade Objetiva - Parte 1: Uma resposta a Marcelo Gleiser

A CIÊNCIA DO ERRO Sobre Verdades, Veracidade e Realidade Objetiva Parte 1:   Uma resposta a Marcelo Gleiser Dedicado ao me...

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Mais sobre Marxismo e a 'Nova Ordem': SER POPULAR NO FACEBOOK...


Lênin, o semi-deus embalsamado, e o eterno funeral comunista... 

Mais uma publicação propagada por um 'inocente útil' que deseja ocupar certo espaço na mídia do Facebook, sem dispor de qualquer noção sobre o que está veiculando... Escreveram:

"Instruí-vos, porque precisamos da vossa inteligência. Agitai-vos, porque precisamos do vosso entusiasmo. Organizai-vos, porque carecemos de toda a vossa força".(Palavra de ordem da revista L'Ordine Nuovo, que teve Gramsci entre seus fundadores)

Antonio Gramsci não se instruiu o suficiente, e refiro-me à CIÊNCIA, à nobre arte de tornar-se ciente pela PROVA... Não se instruiu, minimamente sobre a Genética Comportamental, Teoria Evolucionária e Neurociência - que endereçam a realidade... Também não estudou a Antropologia, a Sociobiologia, a Climatologia, ou a Etologia...  Este era o estado latente de ignorância de seu tempo, no final do 'ideológico' século XIX - e não o culpo...  

Mas GRAMSCI TAMBÉM INTUIU DE FORMA ERRADA E FRANCAMENTE CONTRADITÓRIA... Não fosse tão ignorante sobre a própria ignorância, não teria dito tanta besteira, e desperdiçado tanto tempo... Gramsci foi o grande artífice, dentro do projeto litúrgico do marxismo, da mensagem de 'organização' e hegemonia do comunismo; nas palavras do inesquecível Tony Judt:

"Gramsci foi suficientemente inteligente para ver que precisava ser institucionalmente organizado. Daí a ideia de hegemonia de Gramsci: com efeito, os intelectuais do partido têm que reproduzir de maneira consciente a hierarquia da Igreja [...]"

E existe também uma mensagem escatológica em Gramsci... A ideia da "Salvação Final", e o falacioso retorno do homem à sua natureza 'pura' e por isso mesmo 'superior'... O patrimônio seria o divisor de águas, uma espécie de 'queda do paraíso' ou 'pecado original'... Gramsci, a exemplo de Lênin, traz slogans motivadores, populistas, com promessas de salvação, repletas de razões pelas quais alguém deva se sacrificar pela 'eterna luta de classe' - motor do mundo, segundo o proselitismo piegas e 'deinstruído' do marxismo... 

Marx, movido por desmedida ambição, apostou em suas ideias, jogou para a galera, interessado em deixar seu busto na História - a exemplo de Freud; e de certa forma, foram ambos, bem sucedidos, sem considerar o rastro de destruição e asseverada 'desordem' que deixaram...

Gramsci comprou pacote, e fez parte de uma intelectualidade - Korsch, Lukács, Goldmann - que procurava acomodar a 'ideologia' do comunismo com a praxis soviética e maoista... Uma tarefa hercúlea, que envolvia entre outras coisa, um distanciamento radical da realidade na leitura do emergente século XX... Assim como a recém ressuscitada Rosa de Luxemburgo e o próprio Trotsky, este grupo 'dissidente', mas que participou da construção do Frankenstein leninista, que culminou com a potência stalinista, gozava agora do apoio e simpatia pública, posando de bons moços do comunismo, agora dedicados a denunciar os exageros fascistas da grande potência imperialista - a URSS... 

"Contar-se-ão nos dedos da mão, os comunistas que chegaram à Revolução pelo estudo do marxismo. Convertem-se primeiro e só depois leem as Escrituras - quando leem [grifo meu]." - Albert Camus ('L´homme révolté'/'O Homem Revoltado'; 1951)

Este grupo também idolatrava 'seletivamente' a memória do 'jovem Marx', o salvador; e seu cânone sagrado estava limitado aos escritos até 1845, o 'jovem testamento', com destaque para os 'Manuscritos-econômico-filosóficos' (1844)... A exemplo do cristianismo, que trata de expurgar certas mensagens indesejáveis, e apartar-se do problemático 'Antigo Testamento', o grupo intelectual de Gramsci estabelecia o que seria ou não apócrifo, baseado em conveniências deveras sofismáticas... Como ser livre, pensante, esclarecido, e apostar na estorinha da carochinha marxista ou da 'esquerda-salvação'?

"O desejo de salvar a humanidade é quase sempre um disfarce para o - verdadeiro [grifo meu] - desejo de controlá-la." - Mencken 

De forma que 'o nosso herói' [sic] "agitou" as bandeiras de sua crendice endossando causas igualmente messiânicas de ritos góticos e grotescos, apoiando a "palavra de ordem" de um tipo de fascismo contra outro tipo do mesmo 'saco' - totalitário e ... Um pouco mais do mesmo, na eterna luta do poder pelo poder... Nada de "nuovo", e nada a ser apreciado por pessoas realmente instruídas, LÚCIDAS, e interessadas na Realidade - mesmo que apenas um lampejo...

"Estudai e conhecei, pois precisamos da vossa inteligência, liberdade e lucidez; precisamos também de vosso entusiasmo, consequente, consciente e responsável... Não podemos seguir em meio à tantos mal-entendidos; organizemo-nos para ajudar àqueles que carecem de recursos inatos - ou de instrução específica -, contribuindo com força de vossa mobilização voluntária em servir aos demais... Assim sendo, poderemos melhorar gradativa e continuamente as chances de uma vida saudável para outros irmãos de nossa espécie, humanos que vivem e viverão depois de nós..." - Carlos Sherman (Recomendações do Blog ProÉtica)

O 'faz-de-conta' do comunismo sempre resumiu ambição desmedida, tirania,  cinismo, e um prato feito de distúrbios neuropsicológicos... Não podemos repetir este hino, ressuscitar tais bandeiras, ou marchar esta procissão...

Carlos Sherman 

terça-feira, 26 de agosto de 2014

A Nossa Conversa Daria Um Post - de Filosofia



A Nossa Conversa Daria Um Post:
[conversa com um amigo casual com nome de prato italiano 'Ricieri a Taglietti', rsrsrs... Um forte abraço meu irmão!!!]

Sobre Filosofia, Sociologia, Psicologia e outros equívocos:

Comecei um doutorado em Filosofia, exatamente para defender a tese de que sem um bom entendimento do comportamento humano qualquer tratado filosófico estará comprometido... Mas descobri que a academia está bem longe da realidade, e vive da reedição de monografias de caras que viram as coisas de forma equivocada...

A Sociologia não deveria existir, posto estar fundada sobre falácias - (1) o homem como produto do meio ou tábula rasa; (2) o 'bom selvagem'  rousseauliano ou 'antes era melhor', 'o primitivo é melhor'; (3) o fantasma da máquina, ou o dualismo corpo-mente ou -alma-corpo cartesiano... Durkhein estava equivocado sobre "omnia cultura ex cultura", afinal 'omnia cultura ex hominem'... E finalmente não existe nenhuma chance para o livre-arbítrio, como hoje sabemos e podemos provar... Sei que são corolários duros, mas posso sustentar com argumentos, evidências e provas... Portanto, não existe razão de ser para a Sociologia, e quem segue o se forma em tal disciplina perdeu o seu tempo com versões equivocadas sobre a realidade... Mas existe a Sociobiologia, e que sobrevive na Biologia e na Etologia... 

Considero que a Filosofia abarcou o conhecimento e a achologia até o Círculo de Viena... De lá pra cá o conhecimento migrou para as Ciências Teóricas, e os equívocos continuaram sob guarda da Filosofia, que se repartiu em Teologia, Sociologia e Psicologia... Considero que todas estas disciplinas estão - irremediavelmente - mortas... O conhecimento sobre o Comportamento Humano subsiste na Neurociência Cognitiva, na Sociobiologia, na Genética Comportamental... Todas estas disciplinas estão fora da Psicologia... A Psicologia precisa sair do pântano achológico pseudo-filosófico que a abriga, e avançar Neurologia adentro...

Sobre graduar-se em Filosofia:

Tenho contato com Michel Onfray, o maior Filósofo de nosso tempo, e um dos maiores filósofos de todos os tempos... Durante o 'Fronteiras do Pensamento' em Sampa, quando manifestei minha preocupação em graduar-me em Filosofia, ele abandonou o seu protocolo francês e fez uma piadinha britânica: "ajoelhe-se cavaleiro, eu o nomeio filósofo"... Até o Olavo de Carvalho, um escroque fascista, se diz professor de filosofia... Onfray, por sua vez, fundou a Universidade Livre da França, escreveu a obra mais importante sobre a História da Filosofia em 5 volumes: "A Contra-História da Filosofia"... 

Onfray, esse é o cara, esse é o filósofo... Você e eu, que amamos o pensamento, somos, por definição, filósofos... Afinal, Demócrito, Leucipo, Epicuro, Sócrates, eram formados em quê? Eles tatearam sobre o entendimento das coisas, da vida, do universo... Nós, você e eu, podemos fazer melhor, e temos diante de nós um enorme edifício de conhecimento... Escancaremos as portas e entremos conhecimento adentro... 

A Filosofia Acadêmica versa sobre a Epistemologia, a Metafísica, e a História dos Filósofos... De que serve o estudo do conhecimento - epistemologia -, com o desprezo pela prova? A metafísica é um bom lote de questões mal colocadas... E a História da Filosofia resume o conhecimento antigo e o conhecimento equivocado... O conhecimento antigo foi continuado e aprimorado, convergindo para o conhecimento atual, objeto das Ciências... Os equívocos estão sendo estudados e revisitados até hoje pela 'Cátedra de Filosofia': Kant, Descartes, Hegel, Heidegger, Leibniz, Marx, Aristóteles, Platão, Agostinho, Freud, Durkhein, Rosseau... Uma enciclopédia de asneiras ditas de forma erudita; mas ainda assim, e de forma inescapável, um monte de asneiras empoladas...

Considero-me Filósofo, e de fato; tenho um importante conhecimento da História do Pensamento, estou em condições de debater e aportar conhecimento à Epistemologia, e refuto cabalmente a Metafísica... 

É muito impressionante o que ocorreu nesses 2 mil anos de filosofia, ainda fico impressionado com as propostas Anarquistas de extinção do estado e etc (apesar de serem UTOPIAS DESTRUTIVAS):

Sim amigo; e aqui adianto a minha conclusão sobre tudo isso... Tudo o que vemos na Cultura e na dita Filosofia, espelha as possibilidades da Neuropsicologia Humana... Propostas anárquicas são infantis e 'neuropsicológicas'... Menos sociologia e mais Neurociência, Genética e Evolução do Comportamento, Etologia e Antropologia... Evoluímos para sistemas de governos e trocas voluntárias... E isso porque um regime anárquico só resiste à primeira centena de indivíduos - a densidade populacional, as coalizões... 

O conhecimento expresso na Cultura avança como uma rampa ascendente, com sobressaltos; mas também existem quedas... Vista de forma macroscópica, a História parece contínua, convergente, contingente... e ascendente... Ascendente em que sentido - já que o conceito pode ser facilmente relativizado em uma mesa de bar? Em expectativa de vida, mortalidade infantil e violência...
estamos triplicando a expectativa de vida - e uma em cada três crianças nascidas hoje viverá até os 120 anos, quadruplicando a expectativa de vida média no tempo de 'Cristo'... Diminuímos em 40 vezes a mortalidade infantil... E diminuímos em 100 vezes a violência...

Estes são parâmetros OBJETIVOS... Confira isso [200 países, 200 anos, 4 minutos]https://www.youtube.com/watch?v=Qe9Lw_nlFQU (www.youtube.com)...

Confira também: 'Os Anjos Bons de Nossa natureza' (2013) e 'Tábula Rasa', de Steven Pinker... Confira 'O Passado da Mente' de Michael Gazzaniga, e 'Pensando o Século XX' de Tony Judt...

Amigo, e tem mais polêmica: NÃO EXISTE CAPITALISMO, rsrsrsrsrs... O que existe é um sistema integrado de trocas voluntárias, com protagonistas tão diferentes que seria impossível agrupá-los para definir se são 'capitalistas, 'socialistas', 'social-democratas', 'liberais', etc e tal... A China por exemplo se declara comunista ou socialista, mas pratica a mais agressiva e inescrupulosa economia de mercado que se tem notícia, com as piores condições laborais do mundo moderno... Ou seja, o papel e a propaganda aceitam de tudo - e a semântica deveria ser tratada com mais rigor... A China é um totalitarismo baseado em uma agressiva política de mercado externo, com exploração da mão-de-obra...

Você tem uma cabeça fantástica... Quisera ter a sua cabeça aos 25... Estou com o dobro disso, e sinto-me lisonjeado em colaborar... 

Sobre Kant, e sobre estudar filosofia:

Estude filosofia, mas prepare-se para viver entre 'crentes'... Kant era apodítico, um cara que esmiuçava suas teses em detalhes formais - como Popper... Isso tem certa utilidade no estudo da Epistemologia... Mas não devemos nos impressionar tanto com isso, afinal ele terminou dizendo que por trás de tudo deveria haver um sentido moral, ao que chamou de 'imperativo categórico'... Uma falácia nomotética, i.e., um novo nome para 'deus'...

Ele fustigou algumas fronteiras, mas sucumbiu... De Kant e seus 'imperativos' emergiram ideias e imperativos que alimentaram o fascismo hegeliano e o marxismo - e todo o sangue derramado nos séculos XIX e XX... Mas amigo, vá em frente... Não pode haver tarefa mais instigante do que entender o comportamento humano... A melhor maneira de fazer isso seria a Medicina... Mas se considerar pesado demais pode fazer um atalho pela Biologia - especificamente na Sociobiologia e na Etologia... Se não curte o tema, existem mais três atalhos: o primeiro é a Antropologia - com ênfase neurocientífica, genética comportamental e sociobiologia; o segundo seria o perigoso atalho da filosofia, e vale a ressalva de que estará sozinho em seu meio, e será atacado e vilipendiado por aqueles que defendem com orgulho suas crendices - na palestra de Onfray no 'Fronteiras do Pensamento' freudianos vaiaram sua apresentação; a terceira seria exatamente a Psicologia, com as mesmas ressalvas da Filosofia, acrescidas das ressalvas à Antropologia, i.e., a ênfase na neurociência, genética comportamental e sociobiologia... Aproveite sua inteligência inata, liberdade e lucidez, e revolucione o entendimento sobre o comportamento humano no Brasil...

Dois lados, dois pólos, dois hemisférios...

Em 'FIAT LUX - O Homem, Memória do Universo', sustento a seguinte tese: a cultura expressa a variedade de nossas características neurais... E caminha de forma cambaleante porque o nosso cérebro está em franco processo evolucionário, e não está, e nem estará, acabado... Estamos aprisionados pela perfeição pitagórico-platônica... Somos, de fato, maravilhosamente imperfeito...

Por que então vagamos entre a descrição da realidade e a invenção da realidade? Por que os nossos hemisférios cerebrais desempenham estes mesmos papéis... Quando seccionamos os cérebro, rompendo o conjunto de 100 milhões de fibras nervosas conhecido como 'Corpo Caloso', o que presenciamos é um corpo com dois cérebros paralelos e desconexos... O campo visual esquerdo é decodificado pelo hemisfério direito e vice-versa... 

Pudemos analisar muitos casos nas décadas de 50 e 60, com Roger Sperry - ganhador do Nobel de Medicina e Fisiologia - e Michael Gazzaniga, quando a epilepsia com surtos intensivos era tratada com esta radical intervenção cirúrgica... E descobrimos que possuímos um interpretador do lado esquerdo, no hemisfério esquerdo, que na ausência de fatos inventa estórias... Chamo a este hemisfério de 'advogado'... O lado direito se limita a descrever a realidade... Vale notar que a 'Área de Broca', responsável pela fala, está localizada apenas do lado esquerdo, e conjecturo se não seria o fato de procurar ocupar este canal evolucionário e social - a fala -, que instiga o lado esquerdo a inventar qualquer coisa somente para OPINAR...

Tenho uma tremenda bronca com programas de opinião, onde os 'opinantes' não estudaram e não sabem de nada sobre o tema... São pessoas famosas, artistas, celebridades, ou sei lá o quê, falando sobre o comportamento humano, a vida, a morte,  universo, com base apenas em seu solipsismo... E isso está mal colocado, porque A LUCIDEZ NÃO É A REGRA... Estamos sujeitos à uma infinidade de vieses cognitivos de confirmação, ilusões, efeitos subliminares, efeitos rebanho, idolatrias, delírios, catarses coletivas, hipnose, alucinações e síndromes alucinatórias... 

Finalmente, concluo que a História da Filosofia é a estória da projeção da dominância de um hemisfério sobre outro, em nosso sistema neural 'stereo'... Essa estória de 'mundo das ideias', mundo 'físico', reflete a tendência de um hemisfério subjugar o outro... Veja, por exemplo, o caso de Aristóteles que afirmava a inferioridade das mulheres sobre os homens, e entre outras coisas, porque 'as mulheres tinham menos dentes do que os homens'... Aristóteles foi casado duas vezes e não se deu ao trabalho de contar seus dentes, para SABER que sua hipótese estava furada... Notem o desprezo deste mero mortal, deste mamífero, pela prova... E notem com ainda mais afinco a certeza de sua autoridade... Aristóteles sabia que o culto à sua personalidade valia muito mais do que 'meras' provas...

Pois, e finalizo:

INVENTAMOS A CIÊNCIA - A NOBRE ARTE DE TORNAR-NOS CIENTES PELA PROVA - PARA TESTAR A NOSSA PRÓPRIA LUCIDEZ...

Carlos Sherman

200 países, 200 anos, 4 minutos

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

A Vida Após a Morte (LEGENDADO)

Sobre Minhas Filhas e Seus Aniversários...


11/07/2014 - Aniversário da Isa, mensagem da Karol

Nada mais justo do que uma "declaração" (como de costume) pro seu aniversário, né? Eu tava aqui vasculhando as nossas fotos pra achar uma que fosse digna pra exemplificar nossa relação (e sei o quanto você vai me xingar pela foto que eu coloquei, mas era essa ou a do mr. finger que, cá entre nós, tava bem pior hahahaha) e comecei a "passar" por tudo que a gente viveu. E quero falar de algumas lembranças, aqui, só pra te fazer sentir a mesma nostalgia que eu senti. Bom, a primeira foto que eu vi foi uma da Disney (horrível, por sinal) que logo me remeteu a toda a história da loja de relógios ou do melhor bolo de chocolate das nossas vidas, lembra? A loja de relógios, aquele incrível momento em que nós duas (ainda fazendo curso de inglês, sem ter nenhuma experiência prática) e a minha mãe (que sabia menos do que as duas juntas) decidimos ver os relógios de uma loja x, ensaiando falas e achando que íamos dar conta caso alguém falasse conosco, tendo a certeza de que iam fazer isso. Dito e feito, o vendedor veio falar e nós respondemos que só estávamos olhando (torcendo para que ele não respondesse nada, claro)...só que ele respondeu e, depois de perguntar "what?" pela quarta vez, as 3 viraram as costas e foram embora. Acho que foi meio instintivo tentar puxar a porta ao ler "Push", porque era óbvio e a gente sabia que era pra empurrar. O primeiro cara começou a gritar "Push" enquanto nós 3 puxávamos a porta, desesperadas. O segundo começou a gritar junto até que, em certo ponto, a loja inteira estava gritando (e nenhuma de nós empurrava a maldita porta). Deve ser um furo muito comum dos brasileiros porque, no meio de tudo isso com a gente já morrendo de vergonha, um americano grita lá no fundo da loja: "empurre" e as 3 não só empurraram a porta, como saíram caindo e derrubando tudo e todos que passavam por lá (Faltou eles baterem palma, não sei se eles o fizeram, mas com certeza tiveram vontade...acho que não ficamos nem pra ver as reações, de tanta vergonha). E o bolo de chocolate (pra comemorar o seu aniversário) que a gente levou pro hotel e decidiu comer no outro dia (só que o hotel demorou demais pra trazer os garfos e nós estávamos com fome, então decidimos que comer com a mão seria uma ótima ideia). Eu não sei se foi porque era o bolo "adormecido", guardado do dia anterior, se o fato de ser feito de forma diferente fazia ele ser melhor ou se só o prazer e a graça de comer com a mão deixou a experiência tão boa...eu só sei que aquilo me marcou (e virou um daqueles pequenos detalhes da vida que a gente não esquece e que fica especial, mesmo sendo tão pequeno, tão banal). Aí eu vi uma foto da "Ciudad de México", lembra? Vocês lá subindo na pirâmide e eu tendo que esperar lá embaixo (mesmo morrendo de vontade de subir) porque eu tinha me machucado feio e não podia fazer esforço. Esperei sendo comida por carrapatos e mosquitos, sendo olhada de forma estranha pelos turistas (provavelmente eu devia estar agindo como uma doida, fugindo dos bichos e me lamentando porque eu não estava subindo) até que vocês voltaram "ficamos com dó de te deixar sozinha" e sabe o que é isso? também uma coisa cotidiana e pequena, mas, pra mim, extremamente especial...vocês deixaram de ter uma experiência foda por pensar em mim (e isso - na minha cabeça - foi demais, juro hahaha)...ou a experiência dos museus em que seu pai foi nos mostrar as esculturas dos mochicas (que não eram nada diferentes das que ele já tinha em casa) um tanto quanto (bastante, na verdade) sexuais; acho que gostaria de ter filmado nossa reação em todo o museu, apesar de estarmos curtindo todo o contato cultural, estávamos, muito mais, fazendo piadas internas (hahaha duas crianças, pfvr né?). E em Santiago, quando ficamos um pouco alteradas com a degustação de vinho (e eu me pergunto, quem fica alterada com degustação de vinho? hahahaha pois é). A primeira vez que a gente viu neve, lembra? Quando seu pai parou o carro no meio da "estrada" (subindo a caminho do Valle Nevado) e nós duas descemos, tiramos a luva e ficamos com cara de bobas alegres pra descobrir que: "não é fofinho? que bosta! é só gelo? aff, ridículo, os filmes me enganaram"; lembrei o quanto a gente reclamou, também, nessa viagem "que bosta, não pode esquiar depois das 18h? Mas o que a gente faz no meio da neve, então?" "nossa, que merda, esse restaurante é muito ruim" (sendo que a nossa percepção de comida boa que era ruim, né? hahaha); imagino quanto seu pai sofreu com a reclamação de duas crianças que não sabiam de muita coisa, ainda, e faziam reclamações infundadas haha (mas faz parte). Também lembro que a gente curtiu muito. Compramos aqueles coelhinhos fumantes pra todo mundo, de lembrança (e eu só descobri que ele era fumante depois) e um grande pra nós (que fumava charuto, não era nem cigarro, muito mais classe né haha). E passamos dias indo no quarto dos nossos pais pra narrar a história do mr. finger com os nossos dedos (e eu lembro que no final da história morria todo mundo. Lembro até que em um "episódio" o mr. finger morria porque tinha muita caixa de pizza vencida embaixo da cama dele e as pizzas viravam um monstro que o matava). Depois, eu vi uma foto de NY (que é essa aí que postei), faz 5 anos, certo? (ou 4, não tô lembrando). Na minha opinião a melhor viagem, até agora. Não no sentido de aproveitamento cultural (acho que nesse sentido a cidade do méxico ganha), mas no sentido de aproveitamento dos pontos turísticos, do quanto a gente absorveu da experiência (só pelo fato de que éramos um pouco mais velhas e queríamos, mesmo, aproveitar a viagem, sabíamos o valor daquilo - antes, nem tanto). Eu lembro que, nessa época, as duas estavam passando por algum tipo de pequena desilusão (que agora é só motivo de risadas, porque né hahaha duas crianças) e choramos muito "tô chorando, mas pelo menos tô chorando em new york" a gente conversou muito e se aproximou mais do que éramos próximas antes. Foi incrível passar o período do ano novo lá, com todas aquelas luzes e aquela sensação incrível de que tudo pode ser mudado, de que tudo vai ser novo e melhor (é, acho que a cidade provoca essa sensação); e não tenho nem como pensar qual momento foi o mais marcante porque praticamente tudo foi. Aquele passeio de carruagem, depois de uns goles de vinho que, pra gente, já era demais (um pouco alteradas, de novo, causando muitas risadas e rindo juntas). Aquele cheesecake maravilhoso que você roubou um pedaço (e as fotos do antes e depois deixaram isso muito marcado pelas caras engraçadas). Aquela moda estranha das noivas andarem pelos pontos turísticos (vestidas de noivas, claro) e tirar foto - que a gente ridicularizava mais que tudo. O próprio dia de ano novo, em que a gente não aguentava os 20 graus negativos, mesmo com muitas roupas térmicas e proteções, e queríamos logo ir embora dali (o que não foi só nossa vontade)...lembra o quanto pensamos "é só isso?", todo mundo fica lá por horas (óbvio que é extremamente organizado, divididos por alas e muito policiado), passando frio, pra quando chega a hora da contagem regressiva aquela bola descer, soltar alguns papeizinhos de comemoração e, logo depois, todo mundo sair correndo de lá em 5 minutos (inclusive nós 4, que passamos o resto do ano novo comendo pipoca industrializada no quarto de hotel - e foi MARAVILHOSO!). Bom, e as fotos seguintes que eu vi foram fotos de festas. Fotos da primeira balada, fotos de quando ganhamos o Bono, fotos de todos os lugares que saíamos, fotos nossas dançando, fotos em cada canto de São Paulo e foto nas diferentes casas (em sp e em São Carlos) - o que só me fez lembrar de todo esse crescimento conquistado em conjunto, das mudanças feitas lado a lado. De resto, foram fotos recentes, fotos do momento em que eu considero que desenvolvemos maior parte da nossa identificação como "Irmãs", de fato. Eu não sei você, mas eu considero esse nosso ano morando juntas o nosso melhor ano. Em quase 10 anos de convivência a gente nunca havia brigado e brigamos justamente no 9º ano, nesse em que moramos, o tempo todo, juntas. Com a convivência maior a gente acabou identificando as diferenças e, pra mim, o mais importante foi como a gente soube lidar com isso. Esse ano foi muito proveitoso na nossa relação, em que eu te contei absolutamente tudo do meu passado (quando você ainda não estava presente nele) e vi que você soube reconhecer tudo muito bem, acolher meus "traumas" muito bem, também, e demonstrar um apoio que eu jamais encontrei (e nem encontrarei) em ninguém. Foi quando a gente se abriu sobre tudo que existia na vida uma da outra, sobre todos os pensamentos, as situações, as coisas cotidianas e as coisas mais sérias. Foram reflexões, análises, críticas, todas feitas em conjunto...e isso me fez fortalecer muito a amizade e o companheirismo que eu tenho com você. Certamente não vamos morar juntas pra sempre (pfvr não, né, acho que só te aguento por mais 3 anos mesmo hehe), mas eu posso dizer que no ano em que eu mais amadureci na minha vida, até agora, você esteve presente ativamente (e que você também esteve presente na construção de uma identidade minha, na formação de uma personalidade, no meu descobrimento de quem eu era - só assim eu poderia ser de propósito né hehe). E eu te agradeço muito pela presença na maior parte das situações, por saber dar espaço quando eu precisei, por me respeitar quando eu precisei, por ter exposto as diferenças, por ter se descontentado, pelas discussões, pelas "pazes" na primeira sensação de "não vai dar, eu preciso voltar a falar com ela porque preciso contar isso pra ela", pelas reflexões, pelos pensamentos, pelas piadas, pelas coisas engraçadas (e isso tem de sobra). Eu quero te dizer que você é uma pessoa incrível e que eu agradeço muuuuito por todo o rumo da minha vida ter me levado até vocês (e quem diria hein? que aquele banquinho do parque Ibirapuera ajudaria a construir tanta coisa?). Se tem algo que nos define bem é o comentário do seu pai "se vocês fossem um seriado, vocês seriam a mistura de Friends com The Big Bang Theory". Parabéns, mil vezes parabéns pelos 21 anos cheios de maturidade, integridade, honestidade e inteligência. Eu espero que as suas conquistas só aumentem e que as decepções diminuam. Que você chegue mais perto, cada vez, do que você quer ser (ou se de fato a gente tem tudo bem definido geneticamente, em conjunto com outros fatores da formação, que você se aceite cada vez mais da forma que é). Que você fique satisfeita com as situações da sua vida e que nunca se acomode, caso uma não esteja boa, que consiga, sempre, provocar uma mudança nas coisas que devem e podem ser mudadas. Eu espero poder aprender muito com você, ainda, e poder te ensinar no que for possível. Ainda temos muito o que crescer e muitas situações pra viver e rir juntas. Obrigada pelos 10 anos (ou quase isso) de companheirismo, irmandade, carinho, amizade e conflitos; eles me ensinaram muito e me trouxeram muito crescimento. E obrigada por essa oportunidade de amadurecer com você, essa pessoinha tão incrível e linda! Obrigada por dividir comigo uma das suas maiores preciosidades (seu pai) sei que não é uma coisa fácil e sei que fui um pouco intrusa. E obrigada por me ensinar o que é ter uma irmã (eu pude escolher te tratar ou não como tal e acho que escolhi muito bem, porque definitivamente é isso que nós somos: irmãs). Enfim, obrigada por tudo. Feliz aniversário, sua linda  — com Isabela Palmer.

25/08/2014 - Aniversário da Karol, mensagem da Isa

Parabéns pra você, muitas felicidades, saúde, sucesso e essas generalidades que você já conhece. mas eu também desejo que você esteja preparada quando as coisas não forem do jeito que a gente quer, e eu espero estar do seu lado quando você precisar. Sempre aprendo muito com você, e não sei se te ensinei alguma coisa também, mas antes de tudo, se eu conseguir mostrar que muitas vezes você já tem as respostas que precisa, eu já vou ficar satisfeita, se não conseguir, eu vou gravar mesmo e colocar pra você ouvir!! Que bom que ainda temos mais dois anos para se aguentar, com certeza vamos sentir falta de cantar bem alto músicas nostálgicas e incomodar os vizinhos ahahaha (mas ninguém nunca reclamou, será que cantamos bem??). Nossos momentos constrangedores, engraçados, bobos, dramáticos, são muitos, e o que os torna tão bons de lembrar, é que são sempre algumas das mais máximas expressões do que nós somos de verdade, aquela parte da gente que nem sempre mostramos pra todo mundo, seja ela boa ou ruim, mas que algumas pessoas conseguem nos fazer expor por algum tempo, e então muito obrigada por esses momentos. É difícil manter o nível das suas mensagens de aniversário, mas se chegar perto já consegui alguma coisa ahahah. Pra compensar um pouco mais, eu te levo um doce depois ahahaha. Parabéns de novo irmã malinha, um beijo muito grande, amo você ♥

25/08/2014 - Aniversário da Karol, mensagem do Papai Sherman

Meu benzinho, hoje é o seu aniversário... Como estive empenhado no seu presente na quinta e sexta, para fazer a surpresa no sábado, acabei não preparando nada pra hoje... Quando abri o comentário bati o olho no seu apelido - "Papay" -, e encontrei o mote para escrever este carinho: lembra do que aconteceu? Claro que sim... Mas deixe-me contar como vivi e senti - dramática e ternamente... Levo comigo esta sensação de guerreiro que encontra em seu lar a figura de um castelo, onde pode descansar das batalhas, recolhido à sua família, e junto ao fogo... Uma boa música, boas conversas, e muita atenção e generosidade de uns para com os outros; este é o meu sonho, essa é a minha causa... São três mulheres lindas, e um cachorrinho ainda mais lindo - não podem concorrer com o Bono!!! E é assim, vindos lá de fora, protegidos por uma muralha imaginária de segurança, para estarmos juntos... Tudo para ver os seus rostos refletidos contra a luza do fogo ou de nossos muitos abajures... Tudo para vê-las felizes e realizadas... E assim foi no dia de sua matrícula... Como estávamos felizes!!! Mas, considero o 'trote' uma imbecilidade - rsrsrsrsrs, não sou um homem de meias palavras... Não tolero o sofrimento de nenhum ser humano, mesmo que alguns idiotas praticamente implorem para receber um trote [sic]... Então não seria assim com a minha princesinha, com a caçulinha da casa - depois do Bono, rsrsrsrs -, pelo menos debaixo de minhas asas... E assim foi, no momento oportuno, o cavaleiro protegeu a sua filhinha 'donzela' - e espero que de hoje em diante não te chamem de 'donzela', rsrsrsrs; seria muita sacanagem... Mas a galera encontrou uma maneira inteligente e pra lá de simpática de contornar o momento 'durão do valentão' - e agradeço pela gentileza... PAPAY... Afinal, o 'papai' deixou lembranças no trote... Você bem sabe, e isso talvez eles não possam partilhar conosco, que isso seria um prêmio para mim; e isso porque adoraria ser lembrado pela figura paterna... E então, 'Papay', o seu 'papai', ficou tatuado na sua passagem pela USP, de forma indelével; e encontrei - sem procurar - uma forma de estar sempre ao seu lado... Sempre que perguntarem o 'porquê', saberão que existe um papai zeloso e dedicado, disposto a dar a própria vida por sua família... Dramaticidades shakespearianas à parte, estou onde gosto de estar, pertinho de vocês... Desta condição insistente de 'papai', posso apreciar a maravilhosa relação de vocês, deleitando-me com a maravilhosa prosinha que você escreveu para a sua irmã em seu aniversário; mas também degustando da imperdível declaração de amor que ela dedicou a você, filhinha... Tudo isso não tem preço... O computador e outras 'coisinhas mais' nós pagamos com MasterCard... Feliz aniversário 'papay' - ops!!!... filhota...

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Maconha - Parte II (estendida)



Em princípio, e por uma questão de coerência, sou favorável à legalização da maconha - com as mesmas restrições estabelecidas para o consumo de álcool, e acrescidas das políticas públicas aplicadas ao fumo... Não queremos morrer prematuramente como Marley, de forma que a maconha precisará de filtro, advertências, e restrições de consumo em lugares públicos... 

Por outro lado, e com base no conhecimento neuropsicológico disponível, sou contrário à apologia de qualquer aditivo... Se quer fumar fume, e conheça a realidade por trás de tal disposição... Mas não podemos dizer que, e sob nenhum pretexto, é 'maravilhoso fumar maconha', ou lutar 'por um mundo chapado', etc... Assim como não recomendo a apologia ao café, à bebida, e a nenhum outro aditivo... 

Se for liberada, posso dar um tapinha aqui e ali, mas não viverei 'baseado' nisso [sic]; e seguramente não recomendarei a ninguém que 'baseie' sua vida em qualquer aditivo... Ao contrário, depender do que quer que seja é sempre uma forma dependência, e normalmente aponta para certa conduta doentia, que costuma estar associada a outros sinais sobre a personalidade... Estejam atentos, sejam livres, e de fato...

Carlos Sherman

P.S.:
Jorge, sua argumentação foge do ponto: se atletas forem flagrados bêbados também serão suspensos... O fato de não usar drogas não implica em que eu deva levantar uma bandeira incoerente... Você bebe? Se bebe, por que considera que o tratamento deva ser diferente da maconha? Existe ampla jurisprudência em nossa cultura para aditivos análogos, como o cigarro e o álcool...

E incorre em flagrante absurdo lógico: se estamos discutindo a legalização da maconha, como comparar a sua proibição ou não em relação ao cigarro... Você diz "o cigarro é permitido, a maconha não", e faltou complementar: "por isso deve permanecer proibida"... Assim não dá, isso não cola...

Acho que ainda não entendeu o que estou dizendo... Não uso maconha, não fumo, e considero os dois prejudiciais à saúde... Uso moderadamente o álcool, e reconheço os seus males... De forma que, e o ponto é este e somente este, considero que a maconha deva ser tratada da mesma forma que o álcool e o cigarro... E ainda, denuncio a apologia da maconha, e desaconselho o seu uso... Para fechar, insisto em que não usar nada é, e sempre será, melhor do que usar - a começar pela AUTENTICIDADE... 

O uso de qualquer aditivo decorre de traços em nossa personalidade... Estudos comprovam que usamos aditivos para desligar estratégias de inibição nativas em nosso cérebro - e elaboradas pela Evolução... E isso normalmente compromete nossas escolhas... 

Todas estas importantes advertências não implicam em vetar o debate sobre a analogia entre maconha, álcool e cigarro, que considero legítimo e pertinente...

Carlos Sherman

Maconha - Parte I



Eu sou a favor de elevar a discussão sobre a Maconha ao mesmo patamar estabelecido para as bebidas alcoólicas, e consequentemente ao fumo, pelos respectivos impactos... Mas não tenho bons motivos para o proselitismo do consumo de maconha, assim como não deveríamos ressaltar as vantagens do consumo de álcool; e digo isso por motivação científica. É bem diferente dizer que a maconha pode desempenhar certo papel terapêutico, de alardear sobre as vantagens de consumir maconha contra as vantagens de não consumir nada. Assim como é diferente discutir o consumo de maconha versus o consumo de álcool, da possibilidade de não recomendar o consumo de nenhum dos dois... 

Quem administra o consumo de álcool pode administrar o consumo de maconha... Mas sempre existe a possibilidade de não consumir nada, e a certeza de que tal disposição irrompe com muitas vantagens sobre a 'necessidade' ou a apologia do uso de 'qualquer aditivo'... Ser quem você é, sem aditivos, anestésicos, inibidores ou desinibidores, é sempre o melhor caminho - com raras e poderosas exceções... É mais honesto e autêntico... e é real

Outras drogas - como a cocaína - merecem outras tratativas, por diferentes vieses farmacológicos, mas desde que seja possível ver determinado aditivo como análogo à outros fármacos autorizados, a discussão deve ser aberta; e por que não? Isenção e coerência, são requisitos inescapáveis de qualquer debate produtivo... Estou finalizando um 'post' sobre o assunto, trazendo entre outras novidades (1) as mais recentes descobertas sobre 'por que recorremos a aditivos', (2) a relação entre o uso de aditivos e o 'show business' - com destaque para o caso Robin Williams -, e (3) uma reflexão sobre legalização da maconha no Brasil...

Carlos Sherman



Maniqueísmo sórdido...



Publicaram a foto com a mensagem acima, e vieram os endossos:

- Quanta desigualdade...- Como podem gastar água assim enquanto outros estão com sede. Por que não economizam a água para mandar pra lá?

Desembainhei...

Comento que utilizar o sofrimento alheio para hastear bandeiras pseudo-sociológicas, é um ato abjeto... O post em questão reflete o sofrimento genuíno de todo um continente, atacando gratuitamente à outro povo... E devo denunciar tal conduta:

Desigualdade? Só se for Geoclimática? Ou estão sugerindo agora que os americanos roubaram a água da África? Seria o cúmulo da crença 'anti-americana' - um severo desvio cognitivo de confirmação, e uma preocupante desinformação Climatológica, Geográfica e Antropológica...

Leiam Jared Diamond - 'Colapso', 'Germes, Armas e Aço' -, e entendam o que leva as culturas a emergirem e submergirem... Isso aplaca toda sorte de vitimologia, e abre caminho em um mar de mal-entendidos... Leiam Pinker - 'Os Anjos Bons de Nossa natureza', 'Tabula Rasa' -, leiam Michael Gazzaniga - 'O Passado da Mente'... Assistam ao vídeo sobre 'a pobreza como nosso estado natural', estudem a História da Humanidade, não deixem de ver os vídeos de Hans Rosling, para recompor um quadro da realidade que vos cerca...

A cena na África é triste, e são os americanos que mais trabalham para arrefecer o problema; afinal são os que mais mandam ajuda humanitária e comida para o empobrecido continente... A África padece de muitos males relacionados à suas condições climáticas, e que antecedem à própria existência da nação norte-americana...

A distribuição genética comportamental do planeta, colocou tiranos em todas as partes, de Wall-Street a Mumbai, de Moscou a Quixeramobim, de Vienciana a Trujillo; mas quando estes tiranos encontram um homem enfraquecido pela falta de água, pela sede e fome, a dominação será facilitada... Homens alimentados se levantarão contra a tirania - que não tem nação nem continente...

Procurem as respostas no Clima, na Geografia, na Evolução do Cérebro, na Genética Comportamental, na Historiologia... e substituam analogias baratas e tendenciosas, por uma oferta sincera e produtiva de CONHECIMENTO... Enderecem a REALIDADE, diagnostiquem corretamente o problema, para só então ousarem prognosticar a solução - ou acusar a este ou aquele, pelo mal que fez a outrem... Considero a condição africana digna de profundo pesar e dramática preocupação, mas a solução está longe de ser simples, e deve começar com eles...

Considero a insinuação da publicação mais do que ofensiva... Finalmente, não é tão simples mandar água para a África, os programas para o desenvolvimento africano, amplamente financiados por instituições americanas, esbarram no asseverado quadro de corrupção e má utilização de recursos...

Em nossas regiões mais debilitadas imperam os Sarneys e Calheiros; e vale observar os nosso problemas domésticos no Norte e Nordeste, para uma pequena mostra dos argumentos apresentados acima... Reflitam antes de compartilharem e publicarem qualquer besteira... Reflitam sobre tudo o que foi dito, e instruam-se antes de versar sobre temas complexos e multidisciplinares... Se não podem somar, então não subtraiam LUCIDEZ...

Carlos Sherman

A Terra de Deus


"Primeeiro Ato: O Mandato Britânico da Palestina.
Uma comissão legal para a administração da Palestina foi formada, cujo projeto foi formalmente confirmado pelo Conselho da Liga das Nações em 24 de julho de 1922 e entrou em vigor em 26 de setembro de 1923. O documento foi baseado nos princípios contidos no artigo 22 do Pacto da Liga das Nações e da Conferência de San Remo de 25 de abril de 1920 pelos principais Aliados e poderes associados após a Primeira Guerra Mundial, quando a Tríplice Aliança, da qual participava o Império Otomano, foi derrotada. O objetivo formal do Sistema de Mandato da Liga das Nações foi justamente o de administrar os territórios integrantes do extinto Império Otomano, que dominara o Oriente Médio desde o Século XVI, 'até que fossem capazes de se tornar independentes'. O mandato formalizou o domínio Britânico na parte sul da Síria Otomana de 1923 a 1948. Em 16 de setembro de 1922, com o consentimento da Liga das Nações, o Reino Unido dividiu o território em duas áreas administrativas: Palestina, a oeste do Rio Jordão, que ficaria sob domínio britânico direto até 1948; Transjordânia, a leste do Jordão, que seria uma região semi-autônoma, governada pela família hachemita do Hejaz, na atual Arábia Saudita, de acordo com a Correspondência Hussein-McMahon de 1915. Na sequência do Memorando da Transjordânia de 1922, a área a leste do Jordão ficou isenta das disposições previstas no mandato em relação ao estado judeu e ganhou sua independência em 1946. (Fontes: 'League of Nations Mandate for Palestine'; 'Palestine Royal Commission Report Presented by the Secretary of State for the Colonies to Parliament by Command of His Majesty', 1937; 'The Covenant of the League of Nations and Mandate for Palestine', 'Digest of International Law',1963)"

"O preâmbulo do mandato foi redigido nos seguintes termos: Considerando que as principais potências Aliadas também concordaram que o Mandatário deve ser responsável por colocar em prática a declaração, feita originalmente em 2 de novembro de 1917 pelo Governo de Sua Majestade Britânica e adotada pelas ditas potências, em favor do estabelecimento na Palestina de um lar nacional para o povo judeu, sendo claramente entendido que nada deve ser feito que possa prejudicar os direitos civis e religiosos das atuais comunidades não-judaicas na Palestina, ou os direitos e status político gozados pelos judeus em qualquer outro país."



Simplificando... Sobre a perda de terras por parte dos palestinos (em verde) e em favor dos judeus (em branco)...



" [...] O primeiro passo é deslindar a VERDADE... Logo abaixo da superfície dos debates ditos subjetivos e políticos existem montanhas de bons argumentos e fatos objetivos..."

"[...]
A Realidade:
1. Precisamos de uma âncora conceitual e sugiro a constituição da ONU em 1945, logo após a Segunda Grande Guerra do mundo moderno...
2. Sendo assim as fronteiras nacionais deveriam ser respeitadas, e as nações existentes e signatárias da ONU concordaram com isso...
3. Visto por este prisma, os Palestinos (ou muçulmanos) habitavam ou controlavam a região por mais de mil anos...
4. A constituição do estado de Israel - impulsionada pela onda sionista do século XIX - é ilegal...
5. Esse delírio de Terra Santa já foi longe demais, e não pode nortear decisões sensatas - seja a favor de um lado ou de outro...
6. Mas os israelenses lá estão, e como acomodá-los - e não o contrário...
Esta é a REALIDADE...
[...]"

"[...] biblicamente falando, eles seguiram um psicótico, chegaram a uma terra estéril, e foram ao Egito para não morrer de fome... Tudo o mais que complemente tal estória fanática nada deve importar aos propósitos hodiernos de estabelecer bases justas para um debato humano e conclusivo..."

"[...]
Solução: 
1. Reconhecer a verdade, ou seja, que o estado de Israel é ilegal...
2. Sob este conceito construir uma solução que acomode os dois lados, privilegiando os palestinos... Devemos acomodar os israelitas, mas privilegiando os palestinos - e não o contrário...
[...]"

"[...] isso não me torna simpatizante do Hamas, nem anti-sionista... Estes são os parâmetros de um pensamento livre e ético..."

"[...] devemos assumir que a legítima comoção causada pelo terrível holocausto permitiu que uma injustiça histórica fosse cometida... Assumir a verdade arrefeceria os ânimos... Mas, amigo, a parte mais cara nisso tudo é assumir o erro e voltar atrás... Evidentemente o Hamas é um grupo criminoso a ser combatido, e o estado de Israel perde seu status..."

"[...] Persa e árabes se odeiam, assim como paquistaneses e indianos, e lá estão..."

"[...] amigo, estudei esta questão... Somos, de certa forma, programados para distinguir entre 'nós' e 'eles'... Foi um importante recurso evolucionário... E tal fundamento biológico repousa no fundo de questões como identidade racial, religiosa, nacional, ou até desportiva... Somos menos diversos do que imaginamos, e precisamos esclarecer isso ao mundo... Tudo isso remete à ignorância reinante sobre a natureza humana... Tento superar este abismo promovendo a devida instrução... Mas confundem escutar com entender; aliás, acho que os mal-entendidos prevalecem na comunicação... Mal-entendidos produzindo mortos, dor, sofrimento, de parte a parte... Israelenses e palestinos julgam-se vítimas... Mas toda a humanidade é vítima da confusão reinante... Lamento os mortos de lado a lado, mas não será pela força chocante das imagens hodiernas, e nem pela vitimologia que teima e favorecer os que aparentam mais fraquezas, contra aqueles que dispõe de aparente fortaleza... Será pela força dos bons argumentos que endereçaremos a verdade e descortinaremos a realidade... E será, a partir do correto diagnóstico, que prognosticaremos efetivas soluções..."

"[...] O estado de Israel é ilegal, mas existe um estado constituído... Reconheçamos a verdade, assumamos os erros, enterremos nossos mortos, e construamos a paz sobre bons argumentos... Acomodemos este imbróglio priorizando os Palestinos e acomodando os Israelenses - não o contrário... " 

"[...] Israel ocupou ilegalmente um território com o amparo da ONU, e passou a oprimir o povo palestino, que por sua vez deflagou atos terroristas contra cidadãos israelenses, e o estado de Israel irrompeu em resposta, afim de aniquilar o grupo extremista Hamas... É isso que estamos presenciando... Sou contra a ocupação da palestina, contra a opressão de seu povo, contra os atos terroristas do Hamas, e contra a resposta israelense... Saliento ainda, e principalmente, que uma tratativa adequada em termos de política internacional ainda não foi tentada... Tony Blair não é o cara para conduzir este debate, que repito, deve começar pelo mea culpa internacional, reconhecendo a ilegalidade da constituição dos estado de Israel..."

Carlos Sherman

Este 'parece' ser um soldado israelense apontando covardemente um fuzil contra indefesos palestinos...

E aqui a montagem é desfeita... Trata-se de uma falsa propaganda divulgada no mundo islâmico, com uma montagem...

Uma criança chora a perda do pai...

A criança acima era judaica, e a criança abaixo é palestina...

 Preparado para matar judeus...

Crianças judias se divertem com as bombas que matariam libaneses... Ódio insuflado de forma banal...

Palestinos do Hamas assassinam e arrastam judeu...

Palestinos choram a morte de um bebê nos ataques israelenses...


Bebê judeu atingido por foguetes do Hamas palestino...

Familiares palestinos choram a perda de entes queridos nos ataques israelenses...

Judeus mortos por foguetes do Hamas palestino...

Menino palestino ferido nos ataques israelenses...

Menino palestino armado pelo ódio contra os judeus...

 Criança palestina morta nos ataques israelenses...

Três jovens judeus raptados e assassinados brutalmente pelo Hamas palestino... 

Criança palestina morta pelos foguetes israelenses...

Judeus choram seus mortos nos ataques de foguetes do Hamas palestino...

Criança palestina morta nos ataques israelenses...

Família judaica assassinada covardemente e a sangue frio pelo Hamas palestino...

No detalhes criança judaica metralhada...

Palestinos choram a morte de seus entes queridos pelas forças israelenses...

Criança morta pelo Hamas palestino no Egito...

Crianças palestina gravemente ferida nos ataques israelenses...

Desespero dos familiares de judeus mortos pelo Hamas palestino... 

Pai palestino chora a morte de seu filhinho nos ataques perpetrados por Israel... 

03 comandantes do Hamas palestino são mortos pelas forças israelenses...

Yassin, líder máximo do Hamas palestino é morto na ofensiva israelense...

Palestinos exibem os seus mísseis, com presentes enviados a Israel...

Bateria israelense se defende de ataques palestinos...

Israelenses partem para a ofensiva bombardeando Gaza...

Mais ataques israelenses a Gaza...

Seguem os ataques israelenses a Gaza...


quarta-feira, 20 de agosto de 2014

La mutilación de la razón...

Por: Latercera Mundo




Líder del Estado Islámico ordena practicar la ablación genital a las mujeres
Los insurgentes justifican la medida por su empeño en "cuidar" a la sociedad musulmana y evitar "la expansión del libertinaje y la inmoralidad" entre las mujeres.


El líder del grupo jihadista Estado Islámico (EI), Abu Bakr al Bagdadi, supuestamente ha ordenado practicar la ablación a las mujeres en el "califato" musulmán proclamado por su organización, según un comunicado de su organismo legal en la provincia siria de Alepo. 

En la nota, publicada en internet, la Comisión de la Legitimidad en Alepo explica que esta orden "es de obligado cumplimiento en todas las localidades y regiones", bajo el control de los extremistas. 

El EI justifica la medida por su empeño en "cuidar" a la sociedad musulmana y evitar "la expansión del libertinaje y la inmoralidad" entre las mujeres. 

Por ese motivo, exige que se practique la mutilación genital a las mujeres como -dice- se hacía antiguamente en la ciudad santa saudí de Medina. 

En ese sentido, puso como ejemplo un "hadiz" (dicho) del profeta Mahoma que cuenta un encuentro que tuvo un día con una mujer que se quejó de que le hubieran hecho la ablación y él le respondió que era bueno para ella.

El comunicado del EI, cuya autenticidad no pudo ser comprobada, tiene fecha del pasado 11 de julio e indica que es de la Comisión Legal del Estado Islámico de Irak y Siria (Isis), como antiguamente se llamaba esta organización.


El grupo acortó su nombre a finales de junio cuando proclamó un "califato" en Irak y Siria, tras haber logrado avanzar tanto en territorio sirio como iraquí.

--------------------

Horrible... La mutilación de la razón... Y no van a decir que la culpa es de los gringos? [sic] No son los americanos culpables de todos los males? [sic] Para el fundamentalismo conspiracionista, de pronto, hay cura; pero para estos señores del desierto, del desierto de la razón, no hay más que Gardenal - en sobredosis...

Carlos Sherman 

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Hoje...



"É simplesmente desperdício pensar hoje sobre a origem da vida; deveríamos pensar sobre a origem da matéria." - Charles Darwin (1863)

Mistérios

"Enquanto o cérebro for um mistério, o universo também será um mistério." 

Santiago Ramón y Cajal

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Sobre Roberta Baêta - seu sofrimento, confusão e trágico destino



Sobre Roberta Baêta - seu sofrimento, confusão e trágico destino

Amigo, eu acompanhei este assunto de perto, conversei várias vezes com ela, e tenho horas e horas de papo pelo Facebook, tendo sido uma das últimas pessoas a conversar com a Roberta Baêta... Estudo o comportamento humano, e afirmo que não podemos, sob nenhum pretexto, culpar a família da Roberta por seu suicídio; a começar pelo fato de que a cegueira religiosa e a intolerância que professam, também os caracteriza como vítimas - com severas limitações neuropsicológicas e de instrução... Seus despropósitos decorrem da natureza psicológicas que os aprisiona... Eles não são culpados por serem quem são, e não passam de um rebanho de pobres coitados... Podemos focar a artilharia em seus algozes do púlpito, mas ainda assim, e mesmo quando o vento sopra a favor de minhas teses, devo insistir que a Roberta vivia o seu próprio calvário neuropsicológico... Sua morte tem relação direta com sua natureza, sua personalidade, e com a bioquímica de seu cérebro... 

Nem o mais afrontado ou vilipendiado dos ateus negaria o prazer de continuar a existir... A pulsão de morte, e Freud estava mais uma vez equivocado, não é natural em nossa espécie... Para tirar a própria vida, ou estamos por um fio e em sofrimento extremo - o que não é o caso -, ou padecemos de profundos desafios neuropsicológicos - e a Roberta deixou poucas dúvidas sobre seus problemas... Discordo também da consciência política da Roberta, e não a vi em mínimas condições de "mudar o nosso cenário" e nem o seu próprio destino privado... Perdão por discordar; e preocupo-me também com o sofrimento desta família, e com injustiças cometidas durante o dramático episódio de sua morte... 

Eu publiquei a minha última conversa com ela, e realmente não percebi o quanto estava perturbada - apesar do mar de contradições no qual estava imersa naquele dia:

"O ódio é o lado negro do amor, alguém que não teremos de forma branca e o temos na forma negra. (..) A verdade não odiamos ninguém que não tenha valor para nós, se bem analisarmos poderíamos amar muitos dos quais dizemos odiar. " - Roberta Baêta (26 de Dezembro de 2012)

Discordei, argumentando: 

"Por quê? Que ideia absurda... ÓDIO POR QUEM TEM VALOR PRA NÓS??? Uma contradição em si... Por quê? Por favor, desenvolva este conceito? Insisto que tal visão te levará por um 'sendero' de confusão... E desejo uma linda vida, um lindo 2013... Com muita saúde - e sem ódios... [...] E daqui vejo claramente enorme confusão... Amar, verbo intransitivo, é dar... Dar sem esperar receber nada em troca... Amar é empenhar seus esforços para fazer outra pessoa feliz... O bem de amar está na sensação que sentimos... É pessoal e intransferível, e fica retido na fonte por quem DÁ... Fazer o bem a alguém pelo bem de fazer..." - Carlos Sherman 

Lamento a morte de uma jovem, lamento o seu tormento particular, lamento a dor de seus amigos e parentes, mas não façamos de sua memória um martírio... Simplesmente por que não é verdade... Ela só tinha 17 anos...

Carlos Sherman

Star Size Comparison HD

Jackie DuPre Saint Saens Jaw Dropping

O Líder



“The first responsibility of a leader is to define reality. The last is to say thank you. In between, the leader is a servant. / A primeira responsabilidade de um líder é definir a realidade. A última é dizer obrigado. Entre estes dois extremos o líder é um mero servidor.”


Jacqueline du Pré

terça-feira, 12 de agosto de 2014

David Christian: The history of our world in 18 minutes

Is Everything In The Universe Expanding?

Ebola - uma discussão ética e trágica sobre o direito à ignorância...



Ébola - uma discussão ética e trágica sobre o direito à ignorância...

Entidades religiosas discutem junto à OMS [Organização Mundial de Saúde] sobre a utilização de medicamentos experimentais para conter o avanço na epidemia do ébola na África - o continente mais crente do planeta... Não estamos discutindo, por outro lado, a prescrição da fé - devidamente remunerada - como medida curativa; onde deuses ou um deus em especial estariam intercedendo especificamente em favor de seus fiéis seguidores, abraçando ritos religiosos, seja desta ou daquela facção religiosa, e pagando respectivamente pelo serviço prestado na forma de dízimo - seja ele pseudo-voluntário ou não...

Esforços em saúde públicas, gratuitos, como medidas desesperadas, procuram, em meio à dor, salvar a vida daqueles que foram esquecidos por deus, ou não pagaram por seus serviços - seja por meio da submissão tácita e política, seja por meio do aporte de seus parcos recursos financeiros -, apesar de toda a idolatria... Tais esforços da ciência médica são tratados em seu escrutínio ético, enquanto práticas xamãnicas, não importando se os seus curandeiros portam ou não crucifixos, passeiam em liberdade "pelos campos do senhor" - pelos campos da morte...

A OMS resiste, alegando que a decisão é 'sim' ética, quando contrastada com o tamanho da tragédia, e em relação à força de seu avanço... Mais de mil pessoas morreram, esquecidas por deus, apenas no último e recente capítulo da epidemia... Medicamentos experimentais estão sendo testados na Libéria - onde segundo o censo de 2008, promovido pela CIA World Factbook, 85,6 % da população se declara cristã, 12,2% diz ser muçulmana, 0,6% seguem religiões tradicionais, 0,2% praticam outras religiões, e apenas 1,4% declaram não possuir religião -, um dos países mais afetados pelo surto... Tal medida desesperada é deflagrada em meio à protestos por parte das hostes religiosas; a vida e a morte deste povo parece resumir um negócio, o negócio da fé...

A droga que está sendo testada, é a mesma que foi utilizada para o tratamento bem sucedido de dois cidadãos americanos integrantes de missões humanitárias e que contraíram o vírus... Ironicamente - e darwinisticamente -, o medicamento que está salvando as vidas que deus condenou só havia sido testado em macacos... O medicamento foi utilizado também para tratar um padre católico espanhol, que infelizmente faleceu no dia de hoje (12/08/2014), não resistindo ao ataque do vírus, e em função de haver hesitado por tempo demais até decidir-se por recorrer à Ciência Médica - que a televisão espanhola (TVE) chamou de "soro milagroso"...

Não posso perder a oportunidade de lembrar que o ébola tem no morcego o seu reservatório natural, lembrando ainda - e darwinisticamente - que o morcego, apesar de dispor de um completo sistema ótico, faz pouco ou nenhum uso do mesmo, estando adaptado a viver na mais completa escuridão... Paradoxalmente deus desenhou olhos para não serem usados - por ocasião da evolução; e ainda mais paradoxalmente está o fato de ambos, morcegos e crentes, viverem imersos em uma escuridão, cujo mote seria, segundo a crendice vigente, o desejo deste mesmo deus...

Insistindo um pouco mais sobre a força mortal da tradição quando entorpece a razão, o ebola é transmitido comumente por meio de ritos funerários e práticas gastronômicas, descompassadas com a ciência sanitária e de higiene... Deus, se existe, tem mesmo muito o que explicar, e seus planos parecem asseveradamente esdrúxulos; com destaque para o inescapável fato de que 'ele' teima em fingir não existir...

Carlos Sherman