Pesquisar este blog

DESTAQUE

A CIÊNCIA DO ERRO | Sobre Verdades, Veracidade e Realidade Objetiva - Parte 1: Uma resposta a Marcelo Gleiser

A CIÊNCIA DO ERRO Sobre Verdades, Veracidade e Realidade Objetiva Parte 1:   Uma resposta a Marcelo Gleiser Dedicado ao me...

terça-feira, 31 de maio de 2011

Tudo se resolve na Cuca...




Estou em São José do Rio Preto, uma viagem relâmpago, são quase 02:00hs, mas não perderia esta resposta por nada deste mundo, rsrsrsrs... 'Sim amiga'... Tudo se resolve no cérebro... A velha divisão da antiguidade clássica, corpo e mente, levada a cabo pelos romanos em "mens sana in corpore sano", e encaminhada pelo cartesianismo, não procede... Assim como não procediam, o ‘éter’, a ‘alma’ (anima), nem a Terra estava no centro do universo; e o platonismo que definia tudo como perfeito e esférico também viajou na maionese....

Infelizmente a defasagem entre o conhecimento disponível e a praxis social é imensa... Sim, tudo inequivocamente se resolve no  cérebro... Nossa fabriqueta de emoções na verdade é o hipotálamo... Mas isso só descreve a realidade... Continuamos sentindo emoção pura, descrevendo como sentimento na linguística, e nos relacionando do mesmo jeito... Só que podemos expandir a experiência tirando os maus entendidos do caminho... O grande problema aqui é ‘tão simples’, mas não é fácil de aceitar, e de entender... Estamos treinados na ‘achologia’, mas estamos acostumados a ‘tomar ciência a partir de evidências’...

A emoção pura é resolvida no cérebro, e é pura... De certa forma, involuntária... O sentimento é a descrição verbal da emoção sentida... E o sentimentalismo é a descrição de uma emoção que não existiu, rssrsrsrsr... Ou seja, sentir emoção pura é o máximo... Conto o meu tempo vivido pela emoção sentida... Emoção... E o que nos torna muito humanos é a capacidade de compartilhar emoções, pela fala... Pela língua... É nesta hora que surgem os termos de referência, os sentimentos... Claro que o que sinto como "êxtase", deve ser bem diferente da dona Maria, mas descrevemos da mesma forma, com a mesma palavra... Ou seja, na fala, na língua, perdemos algo...

Busquei a companhia de pessoas que pudessem se aproximar da minha percepção da vida e sensibilidade, para compartilhar com elas pura emoção... Curto isso... Acho sublime compartilhar... E melhor ainda quando podemos compartilhar a mesma percepção sem emitir som... Sem palavras... O "efeito residual" da dualidade corpo e mente, em nosso tempo, está travestido na discussão ‘razão vs sentimento’... Costumo parafrasear Pessoa, ‘o sentimento é apenas alimento para o meu intelecto’...  Não existe tal divisão... A maior prova disso é que homens sensíveis como Drummond, Neruda, Pessoa, Borges, Chaplin, Jorge Amado, Veríssimo, Eco, Varella, foram ou são eminentemente céticos... Onde está o problema com estes caras, rsrsrsrs? Não pensam ou não sentem? Todos céticos, todos cientes de que não existe nem alma, nem separação entre razão e sentimento...

Nossa sensibilidade é ‘atiçada’, sobretudo, pela inteligência... E inteligência, no meu conceito, é a ‘medida da capacidade de reconhecer padrões’... Parece pouco, parece frio, mas não é... É a verdade, é simples, e maravilhosa... A neurociência responde por esta disciplina...

O maior problema, como disse, é que nossa fantasia está treinada, nosso senso de realidade não... Sentir a força de encarar a realidade, e ainda assim seguir maravilhado, é a essência  de uma vida que vale a pena ser vivida... Será sublime, poética e ÚTIL...

Beijos, e cama, rsrsrsr...

Carlos Sherman

Mais sobre a Vida... Muito mais...



A Vida? Pra mim?

Uma miríade de possibilidades...

Carlos Sherman

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Sooner or Later...





"The sooner we make new and good friends, the sooner we will have good old friends." 

Welcome...


Vera Mattos

Mente?




Respondendo a um comentário no Facebook sobre Carl Sagan e a 'mente'...


... Na verdade, o que você está chamando de "mente", "consciência", e alguns chamam de "alma", passa bem longe do conceito de Sagan para o pensamento... Seja em Cosmos, Dragões do Éden, Pálido Ponto Azul, Bilhões e Bilhões, Um Mundo Assombrado por Demônios, Variedade da Experiência Científica, e a edição portuguesa de Sombras de Antepassados Esquecidos (escrito juntamente com Ann Druyan)... Toda essa literatura é parte integrante de meu projeto de doutorado, e de meu livro... Sagan entendeu com o pensamento, e insistiu na beleza do intelecto, posto que o coração é uma bomba cardiovascular... Sagan disse o contrário o tempo todo...  Carl Sagan dedica toda a sua vida, todo o seu tempo a mostrar que aceitar a realidade é sublime...

Como você bem disse, somos formados por átomos, tudo no universo o é; e a maior parte dos elementos químicos encontrados em qualquer ser vivo, H, C e O, apresenta proporções similares em relação à disponibilidade no Universo (com exceção do gás Hélio, um gás nobre)... Estamos relacionados à Terra biologicamente, ao Sol quimicamente, e fisicamente ao Universo...

Sagan procurou mostrar que entender o mundo como ele é, é infinitamente melhor do que fantasiá-lo... William James, no final do século XIX, já denunciava que a alma estava sendo travestida do conceito de consciência e mente... Na tentativa de manter seu caráter etéreo... A neurociência, da qual Sagan bebeu em Dragões do Eden, demonstra cabalmente não existir tal entidade... Ou seja, somos seres biológicos, dotados de uma forte tendência e impulsão genética, vivenciando a experiência de estar vivos, armazenando esta experiência, e recorrendo a ela continuamente, e fortemente afetados por nossos 'memes' culturais, por nossa fisiologia, e pela bioquímica de nossa vida, alimentação e hábitos... Não existe uma entidade mente, e sim um cérebro físico, biológico, enquanto vivo e funcional... É assim que funciona, e Sagan bem sabia disso...


Grande parte do 'barato esotérico' deriva da imensa dificuldade de aceitar o que as evidências demonstram... Não existe tal entidade etérea, e muitas coisas precisarão, urgentemente, serem discutidas, rediscutidas, e colocadas em prática... Esta é a borda de um novo tempo, onde, com uma defasagem de dois séculos, estamos começando a praticar o realismo...

Não perderemos em poesia por aceitar a realidade... E esta realidade, abre novas fronteiras, e novos desafios... Infelizmente, existe uma defasagem enorme entre conhecimento e aplicação social... E enquanto digitamos no i-Phone, podemos estar pedindo a deus que a outra pessoa atenda... O conhecimento se converte rapidamente em tecnologia, mas não se converte na mesma velocidade em aplicação social e educação... Enquanto a neurociência já passou uma quinta marcha, ainda tem muita gente, e aos montes, seguindo a psicanálise freudiana, que já está morta e enterrada a muito tempo... Cursos continuam formando psicanalistas, quando 'sabemos' ser um absurdo exemplar... Acadêmicos, livros, tratados, grupos, sociedades de classe... Todos abraçando uma causa extravagante, sem a menor comprovação científica... Freud, um médico mediocre, matou um paciente, desfigurou outro, e protagonizou diagnósticos risíveis, se não fosssem grotescos... Atos de demência, projetando a si mesmo em uma torpe 'seita', que continua aí, e com diplomas reconhecidos pelo MEC, rsrsrs... Não importa o quanto a condenação de tal disparate avance, o atraso em retirar tal prática do 'mercado', será enorme...


A astrologia, a homeopatia, estão aí... Acreditar é sempre mais fácil do que entender... Por isso tantos crentes e tão poucos pensadores... Mas devemos ser indulgentes, porque genéticamente nem todos terão facilidade em abandonar a zona de conforto do  senso comum, para praticar ao menos o bom senso, quiçá serem livres e transformadores... A distribuição normal em populações grandes, e a genética de populações explicam tal tendência auto-reguladora...


Os magos da auto-ajuda devem cuidar para não submeter pessoas à extrema frustração... 'Você pode, você pode'... Nem todos podemos... Mas devemos lutar e tentar... Podemos ao menos reduzir a defasagem, como os 'descrentes' países evoluídos fizeram (Candá, Inglaterra, Alemanha, França, Noruega, Holanda, Nova Zelândia, Islândia, Finlândia, Suécia, Dinamarca, Bélgica, Japão, e nas costas leste e oeste dos Estados Unidos, fora do alcance do cinturão bíblico)...

Você menciona a divisão cartesiana, que na minha visão já era um atraso em seu tempo, porque se seguia ao atraso da anima grega... Um novo  rótulo para o mesmo princípio, que também havia sido endossado pelo romanos em 'mens sana in corpore sana'... Na realidade tudo é corpo, tudo é físico, tudo é bioquímico, e nos convertemos em indivíduos pelo conjunto de nossas ações... A mente não é uma entidade, é apenas o nome dado ao conjunto de nossa memória e funcionalidade cerebral... E percebo, que o caminho para esta compreensão é bem longo... Maior do que a minha existência finita e mortal...

Pode parecer frustrante e desprovido de poesia, mas não é... É majestoso... E como consolo, gostaria de dizer que alguns homens, ‘relativamente sensíveis’, entenderam isso: Neruda, Picasso, Drummond, Pessoa, Borges, Chaplin, Jorge Amado, Humberto Eco, Sartre, Saramago, Voltaire, Nietzsche, Wittgenstein, Darwin, Eisntein... Tudo ocorre no cérebro... Não existe mutua exclusividade entre o pensamento e a sensibilidade... Parafraseando Fernando Pessoa, ‘o sentimento é o alimento para o meu intelecto’... Siddhartha Gautama, o Buda, alertava sobre os perigos do sobrenatural...

Processamos o que sentimos no cérebro, e tudo ocorre no cérebro... Na verdade o paradigma moderno é outro, pois tentam separar separar 'razão' e 'sentimento'... Tal separação não existe... Tudo ocorre no cérebro... A imaginação, a abstração, a consciência, a linguagem, a poesia, a lógica... Meras e espetaculares funções cerebrais... O amor, a tristeza, a ÉTICA...

Carlos Sherman

Fitna: Corão e Terrorismo

Pálido ponto Azul (Carl Sagan) - Again...




Valeu Alaor, serviço de utilidade pública... João, com todo o respeito, este vídeo em especial, e Carl Sagan, não tratam de alma... Aliás, passam bem longe... E acho que tratar de alma, no século XXI é parte do problema... As medidas para viver melhor vem da realidade, e do pleno entendimento de como a vida funciona... Sabendo onde estamos, poderemos pensar melhor em para onde ir... Medidas de melhoramento contínuo, nada de utopias... Mas Sagan propõe, e este vídeo leva o nome de um dos seus livros, que comecemos por, humildemente, entender como a vida funciona... Entender nosso lugar no cosmos, biologicamente, quimicamente, fisicamente... Pensar que a vida é infinita, e que temos uma alma que resiste ao corpo físico, pode ser o maior entrave ao nosso desenvolvimento... E explica em grande parte, sobre as inúmeras diferenças ideológicas... Entender a vida como finita, biológica, real, não subtrai valor à vida, no sentido poético... Ao contrário, serve como aditivo para elevar-se a um estado de raro esplendor... Sem medos, sem fantasias... A verdade nua e crua... E mesmo assim, e principalmente por isso, maravilhosa... A natureza humana... Homens como Mário Quintana, Neruda, Pessoa, Drummond, Borges, Chaplin, Jorge Amado, Saramago, Hesse, Eco, etc, entenderam isso...

Procuremos "tomar ciência", antes de opinar... Já existe suficiente confusão, e se quisermos realmente ajudar, e se buscamos a justiça, devemos começar por entender a partir de evidências... Belo vídeo, lindo livro... Sagan merece ser lido e conhecido em toda a dimensão de sua obra, e em toda a sua envergadura e exemplo de vida... Uma linda noite a todos...

Carlos Sherman

Auto-Ajude-Se II, A Missão...



... Concordo com Mário de Andrade e com Carlos Drummond de Andrade, com o conceito AMAR... AMAR, verbo intransitivo... E neste sentido, AMAR refere-se diretamente ao ato de dar... Dar parte ou a totalidade de seus recursos, de seu alimento, ceder espaço em seu abrigo, e empenhar o seu tempo em colaborar com a vida de outra pessoa... Quando a vida nos desafia a sobreviver, amar significa colocar outra vida acima da sua...

Sobre auto-ajuda, costumo dizer "auto-ajude-se, não entre nessa"... Considero sim, como foi bem dito, que os gurus da auto-ajuda são como xamãs high-tech, mas aqui, temos que considerar que os padres são uma variação sobre o mesmo tema, e pastores são uma deterioração dos xamãs... E finalmente, sobre a regressão, também endosso a piada, e complemento... O xamanismo de Freud também tem seus dias contados... Freud, que andava desdenhado pela psicologia e pela neurociência, está sendo exumado e estão caçando seu diploma... De forma que outro xamã se vai... Restam o Paulocoelhismos, esoterismos em geral, astrologia, numerologia, e outras besteiras similares, para aqueles mais exóticos... E adorei o comentário sobre auto-ajuda, “resolvendo TUDO em um curso de 3 dias”...

E o que sobrevirá? Um período de realismo... Estamos às portas de uma fase realista... Não como fim, ou estado utópico... Pensaremos a vida sobre bases mais próximas da realidade, sem subterfúgios esotéricos, crenças, espíritos, fantasmas, ou religiões... Deixaremos de contar com amuletos... E encontraremos assim alguma melhora, assim como novos desafios... Sempre... Lembrando ainda, que realismo não é mutuamente exclusivo com a visão poética... Seguiremos dispondo da linguagem poética, mas disporemos de mais clareza... Pouco a pouco...

Ao invés do besteirol da auto-ajuda, cante, corra, faça amor, dance, leia alguma coisa interessante, vá ao cinema, converse com um verdadeiro amigo, namore, ou descanse, para acordar diante de novos horizontes...

Adorei o tema... Beijos...

Carlos Sherman

sábado, 28 de maio de 2011

Na Real...




Considero que a minha maior conquista, foi a capacidade de encarar a realidade, sentindo-me ainda mais maravilhado com a vida...

Carlos Sherman

Mantenha a Calma...



Mantenha a calma... Sempre... Isso é muito importante... Mas defenda os seus princípios... Em síntese, seus princípios, e sobretudo o que você faz com eles, definem quem você é... 

Mas mantenha a calma... Sempre...

Carlos Sherman

sexta-feira, 27 de maio de 2011

O que quero ser quando crescer...




Gostaria de ser uma Gigantesca Antena, com um Sofisticado Sistema de FireWall e AntiVírus, e detecção de fraudes, seguido de um Reator Multidisciplinar, e um Alto Falante de Alta Fidelidade... Poética... Para desenvolver a minha humanidade, e servir à própria Humanidade...

Carlos Sherman

Hernan Gabriel Corbalán...







Hernan Gabriel Corbalán


SOBRE EL BORDE DE LA VIDA
ESTÁN SUS LENTES
Y CARPETAS QUE SE QUEJAN DE VIAJAR...
SOBRE EL BORDE DE SU VOZ
AQUELLO QUE PREDICA
SIN TEMOR A EQUIVOCAR...

PEINA CANAS DE COLEGIO Y PIZARRÓN
SOBRE SUS SIENES EL EXPERTO PROFESOR.
ÉL ESPERA QUE UN DÍA AMANEZCA EL CONOCIMIENTO
Y SE MUERA LA IGNORANCIA,
LA DOMINACIÓN DE LOS PUEBLOS
Y LA INJUSTICIA...

SOBRE EL BORDE DE SUS AÑOS
CIERRA LOS OJOS
Y ESPERA AFANOSO
QUE LE PAGUEN SIN LIMOSNAS
POR SU JUSTA TRAVESÍA
DE VERDADES AL TRASLUZ
DE UNA JUSTA EDUCACIÓN...

SOBRE EL BORDE DE SUS SUEÑOS
CON SU AIRE DE TROTAMUNDOS
CIERRA LOS OJOS
Y SONRIE PARA UN ALUMNO...
UN NIÑO...
EL CANSADO PROFESOR.

HERNAN CORBALÁN
(ARGENTINO)
1998




Ato de Fé...





Por que quem afirma ter fé, repete interminavelmente a mesma ladainha "eu acredito", "eu tenho fé", "eu posso tudo na fé", "quem tem fé tem tudo", et coetera... Será que necessitam escutar a própria voz em repetição? Será que necessitam auto condicionar-se? Ou será que estão tentando convencer a si mesmos pelo convencimento dos demais? Assim como "eu vi um duende, eu acredito em duende, você também acredita?"...

Triste destino...

Carlos Sherman

Sobre a Soberba...


O rapaz humilde aproxima-se gentilmente da universitária mais gata do terceiro ano, e ciente de suas nulas possibilidades em face de tal beldade,  diz: "Repeitosamente, você é muito linda"... A rapariga dá de ombros, sobe no salto e responde: "Eu sei... Diga-me alguma coisa que eu não saiba?"... O rapaz prontamente responde: 


"7 X 8"

Sobre "carmas" e Homens...




... “Lá no fundo?”, rsrsrs... Querida, na verdade o que parece ser "uma certeza lá no fundo", é na realidade um fenômeno alojado na superfície... Como desejar que o seu time de futebol ganhe, mas com uma grande diferença, a partida final nunca vai ocorrer... Sua certeza na vitória seguirá até o fim... E assim será... Qual o problema se você realmente estiver iludida? Aparentemente nenhum... Mas na realidade são muitos... A realidade deixará de ser encarada... E este é um elevado preço a pagar... Se não sabe onde está, como poderá decidir bem, para onde ir?

Sobre o meu "carma bravo", também sinto informá-la tratar-se de estória da carochinha, rsrsrsrs... Indiana... A maior fonte de baboseiras jamais concebida, a Índia... Estou neste momento estudando a "cultura" indiana, para aprofundar o meu entendimento sobre as VACAS SAGRADAS... Em breve terei novidades... Provavelmente, você não topou com um cara, com uma vida tão plenamente vivida como a minha... Se isso é um "carma bravo", rsrsrsrs, então que seja, rsrsrs... Tenho realmente ajudado pessoas, a lutar e superar suas dificuldades... Quanto posso apenas escutar ou ensinar, aí estou... Mas em outros momentos precisei e preciso fazer mais do que isso... Alimentar, abrigar... Este deve ser o meu "carma"... 

Carma em síntese significa "ação", e sim, sou um BRAVO HOMEM DE AÇÃO, rsrsrsrsrs... E todos os homens que mudaram a história o foram... O esoterismo, ainda de moda, tratou de usar e abusar dos conceitos vagos de alma, carma, chakra, espírito, aura, quântico, fé... Estive lutando de joelhos, rezando com as mãos espalmadas, em vigoroso sinal de fé... Aprendi... Abrindo os olhos, escutado e percebendo a vida por trás dos véus do dito sagrado... E decidi falar, ao invés de repetir ladainhas combinadas... Já não luto de joelhos, e sim de pé... Meus braços estão prontos para ajudar, servir, e lutar... Minha vida definitivamente deixa marcas... Indeléveis... E a sua? Beijos...

Carlos Sherman


As Borboletas da Alma...




Nota escrita a Drauzio Varella:

Sou um grande admirador do seu trabalho, da sua vida, e da integridade de sua postura... Percebo que nos encontramos na condição ímpar de "Guerreiros da Liberdade Total"... Homens livres e pensantes, que terminam por abraçar causas e reconhecer os padrões, que serão capazes de melhorar a vida... Um forte abraço...
Carlos Leger Sherman Palmer

As “Borboletas da Alma” é uma metáfora poética para descrever neurônios... Este tema, o cérebro e suas funções, é tratado de forma magistral por Drauzio Varella (2006)... Este famoso médico brasileiro, e um grande divulgador da ciência, está na linha de frente contra a ignorância; que tanto prejuízo tem trazido ao progresso da humanidade...


quinta-feira, 26 de maio de 2011

#45, Sherman BlueSky (Tradução)




#45 (Carlos Sherman)

1
I woke up this morning...
And that feeling that I´ve got…
I woke up this morning…
And that feeling that I´ve got…
Acordei esta manhã...
Com aquele velho sentimento...
Acordei esta manhã...
Com aquele velho sentimento...

2
You look far from here…
And they don´t know why…
You won that fear…
And they don´t know how…
Você olha pra longe daqui...
E eles não sabem por que...
Você venceu aquele medo...
E eles não sabem como...

3
I lost up that road…
Of artificial truths…
My life is alive…
Although they´re trying to quit it…
Eu abandonei aquela estrada...
De verdades artificiais...
Minha vida está viva...
Embora tenham tentando calar...

R 
So face the sun…
And free yourself…
If You even try…
This morning…
Então encare o Sol...
E liberte-se...
Se ao menos tentasse...
Nesta manhã...

4
I´m just Fourty five…
My body claiming for more…
If you still counting down…
You are losing your time…
Eu tenho 45...
Meu corpo pede mais...
Se você está contando,
Está perdendo o seu tempo...

5
A man in the mirror…
That I´m proud to be…
My time has an end, you know…
But my mind has no time…
Um homem no espelho...
Que eu me orgulho de ser...
Meu tempo tem um fim, você sabe...
Mas minha mente não tem tempo...

R
So face the sun…
And free yourself…
If You even try…
This morning…
Então encare o Sol...
E liberte-se...
Se ao menos tentasse...
Nesta manhã...

6
I woke up this morning...
And that feeling that I´ve got…
I woke up this morning…
And that feeling that I´ve got…
Acordei esta manhã...
Com aquele velho sentimento...
Acordei esta manhã...
Com aquele velho sentimento...

7
If you want my secrets…
Is really up in the sky…
If you want the keys…
Wake up and count the stars… With me...
Se você quer os meus segredos...
Eles realmente estão lá no céu...
Mas se quiser as chaves,
Acorde, e comece a contar as estrelas... Comigo...
R
So face the sun…
And free yourself…
If You even try…
This morning…
Então encare o Sol...
E liberte-se...
Se ao menos tentasse...
Nesta manhã...

R
So face the sun…
Free yourself…
This morning…
Então encare o Sol...
E liberte-se...
Nesta manhã...
Carlos Sherman

#45, Sherman BlueSky

Driving The Last Spike... (Tradução)




"Driving the Last Spike" é original do Álbum “We Can't Dance”, de 1991, do Genesis. A música foi escrita por Phil Collins, e inspirada em um livro que conta a história de trabalhadores construtores de trilhos ferroviários, no  século XIX. Muitos homens morreram construindo as linha férreas britânicas. A música narra os pensamentos e sentimentos de um trabalhador anônimo, como um monólogo interno.

Fincando a Última Estaca (PHIL COLLINS)

Deixando minha família atrás de mim...
Sem saber o que virá...
Acenado em sinal de adeus, e como deixei todos em lágrimas...
Lembrando tudo o que tinha dito...

Eu olhei para o céu, eu ofereci minhas orações...
Eu pedi a ele orientação e força...
Mas a simples crença de um homem simples...
Estava nas mãos dele, e na minha cabeça (minha cabeça)...

Eu dei tudo o que eles queriam...
Mas ainda queriam mais...
Nós suamos e labutamos...
Bons homens perderam suas vidas...
Eu não acho que eles sabiam por que...

Vendi meu coração...
Vendi minha alma...
Eu dei tudo que eu tinha...
Ah, mas eles não podiam quebrar o meu espírito...
Minha dignidade lutou...
(lutou em resposta)
(apenas lutei em resposta)

Ah, você pode me ouvir?
Você pode ver?
Você não me escuta?
Você não vê?

Nós trabalhamos pelo grupo e por nossos valores...
Os rapazes puxando os vagões...
Nós estávamos cavando o túnel, deslocando a Terra...
Foi então que aconteceu...

Ninguém sabe como as rachaduras apareceram,
Mas, tudo ruiu e todos eles desapareceram...
Pedras caíram como chuva...

Ah, você pode me ouvir?
Você pode ver?
Você não me ouve?
(Pode) Você pode respirar?

A fumaça se dissipou, a poeira assentou...
Ninguém sabia quantos haviam morrido...
Todos estavam feridos...
Eles disseram que seria seguro, eles mentiram...
Você podia ouvir os gritos, você podia sentir o cheiro do medo...
Mas por boa sorte esse era meu dia...
E ocorreu-me que o coração de um homem bom...
Parece ser difícil de encontrar...

Ah, você pode me ouvir?
Você pode ver?
(Não) Você não me escuta?
(Não) Você não vê?

Nós trabalhamos, ahhh como nós trabalhamos...
E o diabo nos remunerava...
Através do vento, através da neve,
E através da chuva...

Dinamitando, cortando o país de Deus como uma faca...
Com o suor ardendo em meus olhos, tem de haver uma vida melhor...

Mas eu posso ouvir o choro das minhas crianças...
Eu posso ver as lágrimas em seus olhos...
Memórias daqueles que deixei para trás...
Ainda soando em meus ouvidos...
Será que eu nunca voltarei?
Será que eu nunca ver seu rosto novamente?
Porque eu sempre me lembrarei da noite...
E como se despediram de seu pai...

Nós viemos do Sul,
Nós viemos do Norte...
Com picaretas e pás com...
E um novo tipo de ordem...
Sem medo do que está à frente...
Eles nunca verão gente como nós outra vez...

Dirigindo a última estaca,
Posicionando o último trilho...
Com mãos em carne viva,
O sol queimando minhas costas...

Mas eu posso ouvir o choro das minhas crianças...
Eu posso ver as lágrimas em seus olhos...
Oh, as memórias daqueles que eu deixei pra trás...
Eles ainda estão soando em meus ouvidos...
Bem, eu sempre vou lembrar daquela noite,
Como eles se despediram do seu pai...

Nós seguimos o trilho, que dormia sob as estrelas...
Cavando na escuridão, e vivendo com o perigo...
Sem medo do que está à frente...
Eles nunca verão gente como nós novamente...

Ah, você pode me ouvir?
Você pode ver?
(Não) Você não me escuta?
(Não) Você não vê?

Phil Collins


Dust In The Wind... (Tradução)




Poeira ao Vento


Eu fecho meus olhos,
Apenas por um momento,
E o momento se foi...

Todos os meus sonhos,
Passam diante dos dos meus olhos curiosos...
Poeira ao vento...
Tudo o que eles são é poeira no vento...

A mesma velha canção...
Apenas uma gota de água...
Em um mar interminável (infinito)...
Tudo o que fazemos,
Destroçando (esmigalhando) ao solo [cai em pedaços]...
Embora nós nos recusemos a ver...
Poeira ao vento...
Todos nós somos poeira ao vento, ohh...

Agora, não "espere ai!" / não desperdice o minuto,
Nada dura para sempre...
Apenas o céu e a terra...
Tudo Isso vai embora...
E todo o seu dinheiro,
Não comprará um minuto mais...
Poeira ao vento...
Tudo o que somos é poeira no vento...
Poeira no vento...
Tudo é poeira no vento...
Ao vento...

Kansas