Pesquisar este blog

DESTAQUE

A CIÊNCIA DO ERRO | Sobre Verdades, Veracidade e Realidade Objetiva - Parte 1: Uma resposta a Marcelo Gleiser

A CIÊNCIA DO ERRO Sobre Verdades, Veracidade e Realidade Objetiva Parte 1:   Uma resposta a Marcelo Gleiser Dedicado ao me...

sábado, 12 de julho de 2014

Psicoflechas



Psicoflechas
Carlos Sherman

Sigmund Freud conclamou para si - do alto de uma ambição desmedida e arrogância quase fascista, por vezes criminosa, e doentia - um lugar ao lado de Copérnico e Darwin. Não poderia haver disparate maior do que erigir um busto para este charlatão no corpus do conhecimento científico humano! Mas, antes de erguerem barricadas e juntarem as pedras, ESTUDEM... e descubram quem realmente foi o senhor Freud.

Um corolário: 
A Psicanálise nada mais é do que esoterismo e ocultismo. 
A Psicanálise, marca registrada freudiana, em nada deve à homeopatia, astrologia, numerologia, quiromancia, entre outras práticas mágicas... O freudismo só pode ser explicado pelo culto coletivo à personalidade; um bom e inescrupuloso contador de estórias, uma estória "espetaculosa", e um público "rico" e ávido.

Jung, por sua vez, rompe infantilmente com o "mestre", e cria sua própria subsidiária psicanalítica. Pois se Freud detém a marca "Psicanálise", Jung cria a sua "Psicologia Analítica"... Pouco criativo... Mas a escassez de imaginação e fantasia pararia por aí; e isso porque o pupilo faria de tudo para angariar mais atenção do que o mestre; valendo-se de devaneios menos sombrios, mas igualmente e risivelmente trágicos - desta vez, pela crença em todo o tipo de "divinização"... Se Freud, após o assassinato nietzscheano de deus, e consagrada a orfandade humana, pretende o papel messiânico de algum suposto "racionalismo gótico" - por mais absurdo e irracional que possa efetivamente ser -, Jung lança a moda do panteísmo. 

Jung sai disparando contra o mestre, e acusando-o de "não praticar Ciência"; isso enquanto, na prática, trata de afastar-se ainda mais, e ao máximo, de qualquer remota chance de prática científica. O sujo aponta o mal-lavado...

Freud, Jung, Reich etc... estrume do mesmo pântano: culto à personalidade e ambição desmedida... Mas Lacan, em um raro lampejo de honestidade sem limites, ASSUME O DELITO:
"Nossa prática é uma trapaça, blefar, fazer as pessoas pestanejarem, impressioná-las com palavras astuciosas, é de qualquer forma o que se costuma chamar de engodo. [...] Do ponto de vista ético, nossa profissão é insustentável; é, aliás, justamente por isso que eu fico doente só de pensar nela, porque eu tenho um supereu como todo mundo. [...] Trata-se de saber se Freud é ou não um acontecimento histórico. Acredito que ele fracassou no seu golpe. É como eu; em muito pouco tempo ninguém mais se importará com a psicanálise." - Jacques-Marie Émile Lacan (Conferência proferida por Lacan em Bruxelas em 26 de Fevereiro de 1977, transcrita na íntegra pela revista Le Nouvel Observator, no. 880, de Setembro de 1981, p.88)
Universidades por todo o mundo - com ênfase para a França, Argentina e Brasil - ainda lecionam o ocultismo psicanalítico - e derivativos -. formado "magos" com certificados de psicólogo... Não é por acaso que ao invés de pertencer ao corpus do conhecimento científico e, portanto, de sua estrutura acadêmica, o curso de Psicologia se encontre normalmente atachado às áreas de Letras, Filosofia e Sociologia...

Segundo Paul Bloom, na aula inaugural de Introdução à Psicologia em Yale: 
"Vocês não encontrarão Freud no curso de Psicologia desta universidade, e já faz algum tempo. Talvez encontrem Freud na Sociologia, Filosofia ou Literatura." 
Onde - agrego - residem o culto à personalidade, e espaço para a ficção e arte... 

"Sincronicidade" junguiana? Ou seria o mais completo desconhecimento sobre as Leis que regem a Probabilidade e a Estatística - sobretudo em sistemas complexos como o comportamento e a percepção humana? Vozes que vem do "inconsciente coletivo" ou o desconhecimento de síndromes psíquicas, como a Esquizofrenia, Síndrome de Capgras, Síndrome de Charles Bonnet? Mães geladeira, como na sentença psicanalítica do autismo, ou reles ignorância sobre: como a mente funciona? Ânsia de vomitar o feto por conta da rejeição do marido, no incínio da gravidez? Ou pleno desconhecimento sobre as fase gestacionais - hoje bem entendidas -, com destaque para os primeiros meses e a delicada formação neural, e onde a rejeição de alimentos que representem riscos de intoxicação é deflagrada - em doses diferentes para organismos diferentes?

Complexo de Édipo, Elektra? Fases artificiais do desenvolvimentos, arbitradas de uma escrivaninha, sem qualquer compromisso com a realidade... E uma sistema hidráulico para o cérebro, hoje completamente desacreditado e até mesmo ridicularizado!

Invocar o sobrenatural para arbitrar a realidade foi, é, e sempre será desprezível e pernicioso; afinal ainda podemos dizer que não sabemos por que ou como... E esperar para saber! E estamos descobrindo paulatinamente que a lucidez não é a regra, de forma que achar que sabemos que não basta. E outros vetores, como a ambição e o narcisismo doentio de uns, valendo-se do controle persuasivo sobre outros - efeito rebanho -, melhor explicarão o fenômeno da crença no freudismo.

Hoje sabemos que o hemisfério esquerdo pode predominar sobre a tendência a ARBITRAR E RECLAMAR AUTORIDADE SOBRE A REALIDADE, enquanto luta com o hemisfério direito que pretende a LEITURA HONESTA DESTA REALIDADE... E sim existe uma realidade objetiva. A predominância do comportamento mágico sobre a descrição direta - o Advogado versus o Cientista - tem decorrências genéticas e neurofisiológicas... Mas estas tendências poderão ainda ser estimuladas ou cerceadas pelos diversos ambientes de aprendizado - compartilhados e não compartilhados.

Segundo Michael Gazzaniga, que dirige o SAGE - um dos maiores centro de estudo da mente humana, na Universidade da Califórnica -, colaborador do laureado cientista Roger Sperry - Nobel de Fisiologia ou Medicina de 1981, por pesquisas sobre a separação e identificação das funções dos hemisférios esquerdo e direito do cérebro:
"A Psicologia está Morta."
 Reclamem com Gazzaniga [sic]... Já Steven Pinker, que foi diretor da Faculdade de Psicologia de Harvard, um dos maiores nomes da História da Psicologia, diz:
"A ideia de que a maioria dos meninos querem dormir com as suas mães, é a coisa mais ridícula que já ouvi. Obviamente, a ideia não parecia assim tão ridícula para Freud; que escreveria que, quando menino, ele uma vez teve uma reação erótica ao assistir a sua mãe se vestir. Mas Freud tinha uma ama de leite, e pode não ter experimentado logo cedo o tipo de intimidade que teria levado o seu sistema perceptivo a reconhecer que Senhora Freud era sua mãe." - Steven Pinker ('Como a Mente Funciona')
Essa projeção grotesca do devaneio freudiano sobre a humanidade - fundamento de sua teoria -, não é um mero inconveniente moral, nem um "negação", mas o mais completo atentado contra a natureza... Já que o pareamento entre mães e filhos leva à eclosão de perigosos genes recessivos, devidamente escamoteados pela natureza. Assim como atentou contra a natureza, e novamente de forma ridícula, quando disse que o vômito no início da gravidez decorria da percepção de repulsa por parte do marido, e logo levando a mãe a "vomitar o feto" - repito... 

A natureza não é tão estúpida, mas quem acredita em todo este arsenal de imbecilidades, segue em uma perigosa e dogmática rota.

Freud é froida...


Carlos Sherman

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.